ÚLTIMA HORA
Ultimamente, só esporte e bizarrices.

Por caminhos tortos, venceu 2 das quatro partidas na casa do adversário, o Phoenix Suns está classificado para as semifinais da Conferência Oeste. O oponente já está definido. É o San Antonio Spurs, que algumas horas antes eliminou o Dallas. No jogo 6 entre Portland e Phoenix, não faltou emoção. O time de Leandrinho veio pra abafar logo no início. Fez um primeiro tempo impecável e virou 12 pontos na frente. Uma vantagem que seria confortável, mas o Blazers conseguiu encostar no fim do 3º quarto. E no período derradeiro, os erros custaram caro ao Portland. O que faltou ao time foi claramente um pontuador nos momentos decisivos. Andre Miller estava fora. Brandon Roy foi para o sacrifício, mas não rendeu o que se esperava dele. O Phoenix aproveitou as brechas e garantiu a classificação em pleno Rose Garden. Final: 99 a 90. Agora são dois brasileiros nas semifinais da NBA.


 

Foi o primeiro revés dos playoffs 2010. O San Antonio Spurs, 7º colocado na temporada regular, eliminou o Dallas Mavericks, 2º colocado no Oeste e 4ª melhor campanha de toda a NBA. Pra isso, o experiente time do Texas aproveitou-se da desorganização tática do Mavs. O Dallas fez boa campanha porque dificilmente perdia jogos fáceis. Tem um grande jogador, Dirk Nowitzki, mas coadjuvantes fracos. O armador Jason Kidd, em má fase, fez jogos muito irregulares. Passou zerado em alguns jogos. Mas o pecado do Mavs foi não fazer o dever de casa. Venceu o primeiro confronto, mas perdeu o segundo em casa, num jogo histórico que serviu para o San Antonio se encontrar. O time ganhou identidade, vibração que carregou consigo para os dois jogos em San Antonio e conquistou duas vitórias. Perdeu o 5º jogo com um folga considerável, sem forçar muito o ritmo porque o 6º jogo seria em casa, onde poderia selar a classificação. Foi o que aconteceu.
O jogo: O San Antonio começou arrasador. Fez 22-8 logo no 1º quarto, e perdeu apenas 1 ponto desta vantagem na metade do jogo. Primeiro tempo:


Na sequëncia, o Dallas reagiu. Venceu o 3º quarto por 6 pontos de diferença e foi pro tudo ou nada no 4º quarto. O Spurs foi mais time. Veja como os pontos foram distribuídos: Ginóbili (26), Hill (21), Duncan (17), Parker (10), entre outros. O Dallas foi apenas Nowitzki (33) e Butler (25). Os outros tiveram desempenho pífio, entre eles, Jason Kidd, 2 pontos.
O San Antonio fechou o jogo por 97 a 87.

 

Já tem filme programado para arrebatar plateias no verão dos Estados Unidos e no mundo inteiro. Pelo menos, para mim, fã do gênero, parece um filmão. "Mercenários" (The Expendables), com Silvester Stallone, Arnold Schwarznegger, Bruce Willis, Jet Li, Dolph Lundgren, Jason Statham (Carga Explosiva), Mickey Rourke, o astro do UFC, Randy Couture e, de quebra, a brasileira Gisele Itié. Pelo trailer, parece imperdível.


Visto primeiro no Sobre Nada.

 

A rodada desta quarta-feira teve dois jogos. Em Atlanta, o jogo 5 da série entre Hawks e Bucks, que estava empatada. Com a vantagem de jogar em casa, o Hawks foi pra cima, mas não conseguiu desenvolver todo o seu jogo. Os garotos de Milwaukee acompanharam. O rookie Brandon Jennings mais uma vez mostrou personalidade e provou que ainda está na briga pelo ROY -Rookie of the year. O mais impressionante deste jogo foi uma corrida de 14-0 nos minutos finais, fatal para o Hawks, que vencia por 10 pontos de vantagem. Incrível. Final: 91 a 87. O Bucks agora vence a série por 3-2 e joga a próxima em casa.


No outro jogo da noite, o time de Nenê lutava pela sobrevivência. Tinha que vencer de qualquer jeito o Utah Jazz, que vencia a série por 2-1. O Jazz até endureceu o jogo no 1º tempo, mas no restante da partida custou a acertar a mão. Cometeu vários erros de ataque no 3º e no 4º quarto, e ainda permitiu a segunda chance ao ataque do Nuggets. Carmelo Anthony, menos fominha e mais solidário, marcou 26 pontos. Chauncey Billups, outros 21. Nenê fez apenas 2 pontos até sair machucado no fim do primeiro tempo. O destaque do Utah foi Deron Willian, mais uma vez, 34 pontos. O Denver fez o dever de casa. Venceu por 116 a 102, mas ainda perde a série por 3-2. E o desafio aumenta no próximo jogo, que será em Salt Lake City, onde o Utah Jazz dificilmente perde.

 

Dos três times que poderiam ser eliminados nesta terça-feira, dois não conseguiram escapar da degola. O Miami Heat, perdendo por 3-1, tinha a dura missão de vencer em Boston para manter-se vivo. Não conseguiu. Mesmo com os 31 pontos de Dwayne Wade, não foi suficiente. O Boston acompanhou de perto. Além do trio de ferro, Kevin Garnet, Paul Pierce e Ray Allen, o Celtics contou com mais uma bela apresentação do armador Rajon Rondo. Final: 96 a 86, 4 a 1 na série. Com o resultado, fica definida a primeira semifinal. Boston x Cleveland, que hoje passou pelo Chicago Bulls. (leia mais logo abaixo).


O Cleveland jogava em casa para garantir sua classificação. Mas pegou um Chicago muito deerminado a permanecer. Um time que lutou até o fim, não se entregou. Derrick Rose foi mais uma vez o destaque, com 31 pontos. LeBron James apenas 19. Mas a pontuação mais baixa teve suas razões. LeBron foi mais importante na defesa e armação. Pegou 10 rebotes e deu 9 assistências. Quase um triple-double. O CAvs só conseguiu vencer na última bola, graças a erros do Chicago. Final: 96 a 94, 4 a 1 na série.

E o San Antonio pensei que ia fazer uma daquelas partidas heróicas e voltar de Dallas classificado. Que nada. O time errou demais, e ainda pegou o Dallas com a mão calibrada. Vitória fácil. Final: 103 a 81. Spurs 3 a 2 na série e próximo jogo em San Antonio.

O que disse do San Antonio se aplica ao Oklahoma City Thunder. Expectativa justificada pelas últimas duas partidas. Até nas derrotas para o Lakers o OKC lutou bastante. Mas não. Foi um passeio dos amarelinhos. Nem Kevin Durant conseguiu jogar. Foram só 17 pontos, uma de suas menores pontuações no campeonato. Final: 111 a 87.

 

Nos outros dois jogos desta segunda-feira, o Milwaukee Bucks fez o dever de casa. Venceu o Atlanta por 111 a 104, liderado pelo calouro Bandon Jennings, autor de 23 pontos. O volume de jogo foi grande com Carlos Delfino e John Salmons contribuindo com mais 22 pontos cada. Note no vídeo que as bolas de Delfino sequer batem no aro. Só chuá. Série empatada: 2-2. Próximo jogo em Atlanta. O Bucks tá embalado e pode surpreender.


No outro jogo da noite, o Phoenix Suns não deu a mínima chance ao Portland, no retorno ao Arizona. Foi uma atuação de gala, irrepreensível. Deu tudo certo, num jogo em que o grande destaque foi o banco do Suns. Os reservas marcaram 55 pontos, tanto que o cestinha do Phoenix no jogo foi Channing Frie, vindo do banco. O Portland quase não pode contara com o astro Brandon Roy, que, sentindo dores no joelho, jogou só 19 minutos e marcou 5 pontos. De quebra, o pivô Marcus Camby, reboteiro de mão cheia, se machucou no primeiro tempo e não voltou mais.
Final: 107 a 88. O Phoenix abre 3-2 e na quinta o jogo é em Portland.

 

Para o Charlotte Bobcats, que perdia a série por 3 a 0, só interessava a vitória para se manter vivo. Uma derrota e voltaria pra casa. Num esforço extremo para não decepcionar o dono Michael Jordan, que estava no banco de reservas como se fosse o técnico, o Cats tentou. Venceu o 1º quarto por dois pontos de diferença. Manteve a igualdade no 2º quarto. Virou na frente, por 2 pontinhos. Mas no 2º tempo, a maionese desandou. As bolas de 3 do Orlando Magic acabaram com as pretensões do Charlotte. O Magic encestou 13 bolas triplas, com vários jogadores. Que artilharia! Final: 99 a 90. Para o Cats, esta primeira participação em playoffs foi um aprendizado. Quero ver na próxima temporada. Michael Jordan é que vai montar o time.


 

Neste domingo mais 3 times alcançaram a 3ª vitória na série e se aproximaram da classificação para a fase seguinte. Só o Boston já poderia garantir o avanço ao 2º round hoje, mas não conseguiu vencer o Miami. O time da Flórida começou arrasador. Abriu 13 pontos só no 1º quarto e levou a vantagem até virar na frente. No 3º período o Boston parecia que tinha se encontrado, recuperando 12 pontos e entrando no derradeiro quarto na frente. Mas o Heat fez uma corrida espetacular de 30-15 e evitou a eliminação. Final: 101 a 92. 3 a 1 na série. Próximo jogo em Boston. Dwayne Wade, que era dúvida para o jogo de hoje, voltou e voltou com tudo. O astro do Heat fez 46 pontos, em muitos lances espetaculares.


Em Chicago, não tem jeito de evitar o passeio de LeBron James. O ala do Cavs estava impossível e cravou um triple double, o primeiro dos playoffs deste ano. Foram 37 pontos, 12 rebotes e 11 assistências. Sensacional. Final: 121 a 98, 3 a 1 na série. O próximo jogo é em Cleveland e ninguém em dúvida que o Cavs já garanta a classificação.

San Antonio e Dallas, a batalha do Texas, foi mais uma batalha mesmo. A porrada tá comendo solta a cada ataque. Na série, equilibradíssima, os talentos individuais, jogando coletivamente, estão fazendo a diferença. O nome do jogo foi George Hill, do Spurs, que somado à vibração dos três tenores, garantiu mais uma vitória. O alemão Dirk Nowitzki esteve apagado e garantiu só 17 pontos. Pouco pra quem tinha médias de 28 pontos/partida. E o fraco rendimento fez falta para o Dallas. Final: 92 a 89. O Spurs abre 3 a 1 e tem três chances de avançar para o 2º round. É o primeiro revés pintando por aí, o 7º batendo o 2º.

E no último jogo da noite, o Denver Nuggets sofreu mais um revés. De novo seu principal jogador arrebentou, no entanto faltou distribuir o jogo para os companheiros. Carmelo Anthony marcou 39 pontos, mas ele arremessou a maioria das bolas. O Jazz fez um jogo mais cadenciado, regido por Deron Willians. Fez 24 pontos e ainda serviu Carlos Boozer, para somar mais 31. Foi a melhor receita pra chegar à terceira vitória e ficar a um passo das semifinais. Final: 117 a 106. O próximo jogo é em Denver. O time de Nenê precisa vencer ou estará fora.


 

E eles estão prestes a vencer o campeonato que tanto desdenham quando o time vai mal, como no passado. Na próxima, no Olímpico, o Grêmio pode perder por até 1 gol de diferença.
Não consegui ver o jogo, então aí vão os melhores momentos.


 

Pensaram que eu tinha esquecido que neste domingo tem GreNal? Ok, é pelo Gauchão, mas GreNal é GreNal e vice-versa. O jogo é no Beira-Rio. Ninguém tem desculpa. O Inter está nas oitavas da Libertadores e o Grêmio na Copa do Brasil. Portanto, quem queiser poupar jogadores estará dando mole pro adversário.
É o GreNal número 380. O domínio histórico é do Inter:


Vítórias do Inter - 143

Vitórias do Grêmio - 119

Empates - 117

Número de gols - 1042

Gols marcados pelo Inter - 541

Gols marcados pelo Grêmio - 501

* * *
Só preciso ver como vou assistir, o problema de sempre. Acho que mais uma vez a opção vai ser a MTG, de Guilherme Poffo. Se achar o link durante o jogo, posto aqui.
(arte: Blog do Josias)

 

Hoje foi um dia histórico para o Charlotte Bobcats. Foi o primeiro jogo do time em casa por playoffs. A torcida compareceu em peso, mas infelizmente quem deu o show foi o Orlando, especialmente um baixinho: Jameer Nelson. O armador do Orlando jogou muita bola. Marcou 32 pontos. Dwight Howard se enrolou com as faltas e saiu do jogo a 3:32 do fim. O Cats lutou muito, chegou a liderar várias vezes, mas não conseguiu. Michael Jordan, no banco, quase vai à loucura. Final: 90 a 86. Agora ficou quase impossível. O Orlando vence a série por 3 a 0 e só precisa de mais uma vitória para avançar ao 2º round.


O Portland abriu a rodada do jogo 4 com uma surpresa. A volta de seu astro Brandon Roy, que estava machucado no joelho. Roy jogou 26 minutos e marcou 10 pontos. A considerar pelo placar final, uma presença fundamental no resultado. Isso motivou o Portland, que jogando em casa, voltou a brilhar. 96 a 87. Lembram dos 10 pontos de Brandon Roy? Com ele, o Portland é outro time. Série empatada: 2-2. No vídeo abaixo, uma cesta de Leandrinho pelo Phoenix, 8 pontos no jogo.

O MIlwaukee Bucks saiu do zero e marcou sua 1ª vitória na série contra o Atlanta Hawks. Um jogo tranquilo: 107 a 89. O Atlanta vence por 2-1.

No jogo 4 entre Lakers e Oklahoma City Thunder, um passeio do OKC. O Lakers não se encontrou e ficou atrás o tempo todo no marcador. A diferença chegou a 29 pontos. Pode-se dizer que Kobe Bryant não foi para o jogo. Passou discreto, com apenas 12 pontos. O Thunder fechou a partida por 110 a 89. Série empatada: 2 a 2.

 

Com um certo atraso, vamos aos jogos de sexta-feira. O primeiro marcou a 3ª vitória do Boston Celtics em cima do Miami Heat. Para o time da Flórida, além de perder e ficar numa situação complicadíssima, teve Dwayne Wade contundido no fim da partida, no jogo em que ele mais uma vez carregou a equipe nas costas. O astro do Heat anotou 34 pontos, mas saiu com uma torção no joelho, logo após tentar o arremesso vencedor. E no ataque seguinte, que seria o último do jogo, quem roubou a cena foi Paul Pierce. Além de marcar 32 pontos, mandou a última bola lá dentro com o cronômetro zerando. Final: 108-106, em Miami. Mais uma vitória do Celtics e adeus Miami. O pior é que se Dwayne Wade ficar fora da próxima partida e o Heat for eliminado, o jogo de ontem pode ter sido a despedida dele de Miami. Especialistas dão como certa a saíde de Wade para o Chicago ou New York Knicks.


De novo o lance de Pierce, o mais espetacular até agora nestes playoffs.

Em San Antonio, o Spurs precisou de muito sangue frio e muita vibração para dobrar o Dallas Mavericks. O Mavs tinha o alemão Dirk Nowitzki, inspirado. Foi dono de 34 pontos, mas cometeu um erro capital: deu uma cotovelada no nariz de Manu Ginóbili, não por acaso apelidado de "El Narigon". Tirou o naso do argentino do prumo (no vídeo abaixo tem a imagem). Ele ficou uns minutos fora e voltou com todo gás. Armou o jogo ao lado de Toni Parker, outro destaque, ao lado de Tim Duncan, cestinha dos Spurs com 24 pontos. Pronto: os três tenores estavam em ponto de bala para fechar mais uma partida com vitória. Final: 94 a 90. Spurs 2 a 1 na série. E o próximo jogo é de novo em San Antonio. A batalha do Texas, como os americanos estão chamado vai pegar fogo.

No outro jogo da rodada, o Denver Nuggets não conseguiu passar pela variedade de jogadas e a raça do Utah Jazz. Claramente sentiu a pressão da torcida. O Denver é um time bem diferente do que foi na fase regular. Talvez sinta a ausência de seu técnico George Karl, que se trata contra um câncer. Mas acho que o principal problema dos Nuggets é o individualismo de sua dupla principal: Carmelo Anthony/Chauncey Billups. Eles pouco distribuem a bola, concentram o jogo e das duas uma: fazem grandes pontuações, quando estão bem; enterram o time quando vão mal. E ontem o que aconteceu foi exatamente isso. Não ameaçaram o Jazz. Final: 105 a 93.

 

Atuando em casa, o Chicago Bulls jogou na base da superação e ainda contou com um boa dose de sorte para alcaçar a primeira vitória na série contra o Cleveland. Foi mais um show de Derrick Rose, que vem arrebentando nos playoffs. Ontem, marcou 31 pontos. O pivô Joakim Noah também teve destaque pela garra com que enfrentou os grandalhões do Cavs. Pegou 15 rebotes. LeBron James marcou 39 pontos, mas não conseguiu evitar a derrota. Final: 108 a 106. Domingo, a quarta partida, em Chicago.


Em Portland, o Phoenix Suns desfez a vantagem do Blazers e devolveu a derrota sofrida em casa. Uma vitória em grande estilo, pra não deixar dúvidas: 108 a 89. Se em algum momento da série Brandon Roy fez falta, este dia foi ontem. O melhor pontuador do time de Portland foi LaMarcus Aldridge, com 17. Em compensação, Jason Richardson, armador do Suns, anotou 42 pontos. Amaré Stoudamire fez mais 20.

E no outro jogo desta quinta-feira, o Oklahoma City Thunder foi empurrado pela torcida pra cima do Lakers e fez uma partidaça. Kevin Durant anotou 29 pontos e pegou 19 (!) rebotes. Russel Westbrook, contribuiu com mais 27. Apesar do bom desempenho, o OKC só garantiu a vitória no minuto final. 101 a 96.

 

Apenas dois jogos na noite desta quarta-feira na NBA. O Orlando Magic confirmou o favoritismo e venceu mais uma diante do Charlotte Bobcats, o time que pertence a Michael Jordan. O Orlando é sério candidato a fazer a final da conferência, pois tem um arsenal muito variado. Dwight Howard fechando o garrafão e dominando no ataque. Rashard Lewis nas bolas de 3, além de Vince Carter, um jogador múltiplo, que está em grande forma. Sem chance para o Cats: 92 a 77. Agora serão dois jogos em Charlotte.


E o Dallas entrou apático e por azar encontrou o San Antonio muito motivado a empatar a série. O time tem um trio que ficou conhecido por "Os três tenores": Tim Duncan, o argentino Manu Ginóbili e o francês Tony Parker. Nesta quarta, eles jogaram afinados. 102 a 88. Foi uma prova de que a série está totalmente aberta, pois os próximos dois jogos serão em San Antonio.

 

Outros 8 times jogaram pela 2ª vez nestes playoffs. Com resultados mais ou menos esperados. O Atlanta Hawks passou pelo Milwaukee e conquistou a segunda vitória. A dupla Joe Johnson/ Josh Smith funcionou muito bem. Os dois juntos anotaram 48 pontos. Final: 96 a 86. Agora serão dois jogos em Milwaukee.


Em Boston, o mico da rodada. O Miami sofreu do famoso apagão não só durante um período, mas em quase todo o jogo. Uma lavada. E o Boston estava sem Kevin Garnett. Dwayne Wade colaborou com 29 pontos, mas foi pouco para o Heat. 106 a 77. O Boston abre 2-0 e faz agora dois jogos em Miami.

Em Phoenix, o Suns entrou em quadra disposo a se recuperar da derrota em casa no primeiro jogo. E arrasou o Portland desde o início. Jogou coletivamente e não deu chances para o Blazers. Final: 119 a 90. Tudo igual na série que agora vai para dois jgos em Portland.

E o melhor jogo da noite foi entre Oklahoma City Thunder e Los Angeles Lakers. Pau a pau do início ao fim, num duelo particular entre dois dos melhores jogadores da liga, Kobe Bryant marcou 39 pontos, Kevin Durant, 32. Mas o OKC jogou muito e teve a chance de vencer o jogo com uma bola de 3 a 12 segundos ou empatar a 4 segundos. Mas errou os dois arremessos finais e a vitória ficou mesmo com o Lakers. 2-0. A série continua em Oklahoma e com certeza serão jogos duríssimos.


 

O Chicago bem que lutou, fez uma grande partida contra o Cleveland mas, mais uma vez, não conseguiu superar a força do Cavs, que jogava em casa. LeBron James teve uma atuação assombrosa: 40 pontos. Não só pelos pontos, mas pelos lances espetaculares, como essa enterrada.


Final: 112 a 102. O Cavs lidera a série por 2 a 0

Em Denver, o time de Nenê penou contra o Utah, que estava inspirado. Jogou como uma orquestra afinada, regida pelo maestro Deron Willians, o melhor armador da NBA. 33 pontos pra ele, e 20 para Carlos Boozer, outro destaque do Jazz. O Utah virou 10 pontos na frente, mas Carmelo Anthony, astro dos Nuggets, resolveu jogar. Anotou 32 pontos e levou a decisão pra última bola. Placar: 114 a 111. Série empatada e importante vitória do Jazz fora de casa.


 

Na rodada de ontem mais 8 times estreiaram nos playoffs. Lakers x Oklahoma City Thunder fizeram o duelo entre o campeão de 2008/2009 e a equipe queridinha da América. Time de Kevin Durant, cestinha do campeonato com média de 30 pontos por jogo. Mas do outro lado tem um conjunto bem mais experiente, liderado por Kobe Bryant, melhor jogador da atualidade. Vitória do Lakers por 87 a 79. Um resultado obtido graças ao reforço da marcação em Durant, que ontem conseguiu anotar "apenas" 24 pontos.


No leste, Orlando e Charlotte jogaram em Orlando, num show de Dwight Howard, melhor jogador defensivo da liga, que ontem deu nada menos que 9 tocos. O Charlotte andou sempre perto, mas não chegou a ameaçar. Final: 98 a 89.

Jogo bastante parelho também em Dallas, no confronto do time da casa com o San Antonio Spurs. Apresentando um jogo mais consistente e com grande atuação do alemão Dirk Nowitzki, 36 pontos, o Dallas faturou a primeira da série. 100 a 94.

E no último jogo da noite, a grande surpresa. A melhor partida do domingo, com os times se revezando na liderança do início ao fim. Assim foi Phoenix e Portland, decidido apenas a 1:30 do fim com uma boa sequencia de ataques convertidos do Portland e erros do Phoenix. E o Blazers foi a única equipe até agora a vencer fora de casa. 105 a 100. E a equipe joga sem Brandon Roy, seu principal astro.

 

No ano passado fiz uma cobertura completa dos playoffs da NBA. Falei de todos os jogos e dei mais detalhes daqueles que assisti ao vivo. Pretendo repetir a dose agora, até pra movimentar o ÚH. Acrescentei ao lado um widget com os placares e jogos do dia. Então vamos lá...

* * *
Os times de melhor campanha jogaram em casa na abertura dos playoffs da NBA. E conseguiram fazer valer o mando de quadra, apesar de serem jogos muito disputados.
Em Cleveland, o Cavs bateu o Chicago por 96 a 83. Derrick Rose, armador do Bulls fez uma partidaça, 28 pontos, mas não conseguiu segurar o melhor time da competição. Destaque para a volta de Shaquille O'Neal, os 24 pontos de LeBron James e os 15 rebotes de Anderson Varejão.

Em Atlanta, o Hawks venceram o Milwaukee Bucks, apesar dos 34 pontos do novato Brandon Jennings. Bela estreia em playoffs. Mas o Bucks vai sentir muita falta, como já sentiu ontem de seu pivô Andrew Bogut. O australiano está com uma fratura no braço e não volta mais nesta temporada. Vitória do Hawks por 102 a 92.

Em Boston, a série que estou apostando minhas fichas como a mais eletrizante. E o jogo entre Boston e Miami mostrou que vai ser pau a pau. O Miami fez um ótimo 1º tempo, virou na frente, mas sofreu um apagão geral na seguinda etapa. Um jogo bastante nervoso, que teve até um arranca-rabo entre Kevin Garnett e Quentin Richardson, que terminou na expulsão de Garnett.
Dwayne Wade foi o cestinha com 26 pontos, mas chegou um momento do jogo que nem ele estava rendendo. Final: 85 a 76. O Boston sai frente.

No único duelo do lado oeste, Denver Nuggets x Utah Jazz, fizeram o maior placar da rodada. Um jogaço no pau até a metade do 4º quarto. Foi quando Denver fez uma corrida de 11-0 e distanciou-se do Jazz. Caía tudo. Carmelo Anthony terminou como o cestinha da rodada, com 42 pontos. O brasileiro Nenê fez 19. Final: 126 a 113.

 

NBA Playoffs: os confrontos

Posted In: . By Renon Junior

 

NBA: chegaram os playoffs

Posted In: . By Renon Junior

Cada time jogou 82 partidas. A última rodada foi ontem. Agora vem a fase da definição, quando se separam os grandes, dos médios e dos pequenos. O Cleveland terminou a temporada regular com a melhor campanha: 61 vitórias e 21 derrotas. O Orlando foi o 2º e o Lakers, campeão do ano passado em terceiro. Veja como ficou a classificação:
Leste:
1 - Cleveland Cavaliers
2 - Orlando Magic
3 - Atlanta Hawks
4 - Boston Celtics
5 - Miami Heat
6 - Milwaukee Bucks
7 - Charlotte Bobcats
8 - Chicago Bulls

Oeste:
1 - Los Angeles Lakers
2 - Dallas Mavericks
3 - Phoenix Suns
4 - Denver Nuggets
5 - Utah Jazz
6 - Portland Trail Blazers
7 - San Antonio Spurs
8 - Oklahoma City Thunder

 

Raros posts

By Renon Junior

Pois é, a paradeira bateu por aqui de novo. Falta de tempo, desta vez.